A nascente do rio que abastece os lagos do Ibirapuera foi repaginada e já recebeu visita da população e de figuras do governo local.

Na última sexta-feira, 03 de setembro, o pequeno beco onde fica a nascente do Córrego do Sapateiro recebeu a inauguração de uma revitalização em comemoração ao aniversário de 126 anos do bairro Vila Mariana. O evento contou com música ao vivo e discursos de representantes de diversos órgãos da prefeitura e de associações e projetos da sociedade civil. Moradores da região vieram prestigiar e, em alguns casos, conhecer a nascente pela primeira vez.

Às 15 horas da sexta-feira ensolarada, moradores, curiosos e pessoas envolvidas com o projeto se reuniram em torno do pequeno portão verde recém pintado na Rua Lutfalla Salim Achoa. Enquanto chegavam, uma dupla de músicos tocava chorinho na flauta transversal e no violão. No discurso de inauguração a munícipe, conselheira participativa, Presidente da Associação de Moradores da Vila Mariana e jornalista Denise Delfim, relatou o apoio que recebeu por parte da Subprefeitura Vila Mariana e a importância de um projeto que volte os olhos para as águas da cidade.

O evento também contou com a presença do Subprefeito da Região, Luís Felipe Myabara, e representantes do Instituto de Pesca e do Instituto Biológico. Em discurso, o subprefeito afirmou: “Estamos muito felizes em ter contribuído com esse projeto. Antes era um local abandonado, hoje trata-se de um espaço que não só chama a população para pensar mais sobre os rios como para cuidar de seu entorno”.

Após duas crianças tirarem a fita que isolava o local, o grupo deu a volta para visitar a entrada da Rua Rino Pieralini. Na parede ao lado, um estudante de Arquitetura, Gabriel Neistein grafitou um mapa das águas subterrâneas da Vila Mariana, destacando inclusive o local da nascente do Córrego do Sapateiro. O rio, que abastece os lagos do Parque Ibirapuera, é um dos diversos córregos subterrâneos de São Paulo.

O local ganhou jardins verticais feitos a partir de vasos acoplados em treliças e placas de madeira, mudas de árvores plantadas em barris de metal grafitados e um novo piso feito com paralelepípedos intertravados. Esse tipo de paralelepido conta com pequenos relevos nas laterais, os quais impedem que os tijolos se encostam totalmente, o vão então é preenchido com areia, mais permeável que terra. Isso é importante para a vazão da água tanto de dentro do solo para para a superfície, quanto o contrário em caso de chuva intensa.

Aniversário da Vila Mariana

No dia 03 de setembro de 1895, o Governador da época, Bernadino de Campos sancionou a Lei Estadual 340 que reconhecia a Vila Mariana como um distrito. No entanto, a história do bairro começou muito antes. Entre 1883 e 1886 houve a construção de uma ferrovia que ligava São Paulo a Santo Amaro, na época um distrito independente. No ano seguinte ao término da construção foi inaugurado o Matadouro Municipal (local para o abate de animais para consumo). Com isso, casas e comércios foram surgindo, e aos poucos o bairro nascia.

Hoje, o antigo matadouro abriga a Cinemateca Brasileira. A Vila Mariana é um dos três distritos que compõem a Subprefeitura de mesmo nome. É um local de alto padrão de vida que comporta mais de 130.400 habitantes.

 

Fonte: Subprefeitura Vila Mariana, Cidade de São Paulo, 08 Setembro 2021 (https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/subprefeituras/vila_mariana/noticias/index.php?p=112909)