Up

2019

Ricardo Claudionor Mendes

EFEITO DA EXPOSIÇÃO AO CARBOFURANO SOBRE O COMPORTAMENTO E METABOLISMO DE LAMBARIS (Deuterodon iguape)

Autor: Ricardo Claudionor Mendes

Orientador: Prof. Dr. Edison Barbieri

Data: Janeiro/2019

Resumo:

O objetivo do estudo foi avaliar o efeito da exposição de lambaris (Deuterodon iguape) em diferentes concentrações de carbofurano (C12H15NO3). Os parâmetros analisados foram o movimento opercular, o movimento de nadadeiras dorsais e a velocidade de natação, referentes ao comportamento; e o consumo específico de oxigênio e a excreção específica de amônia, referentes ao metabolismo. Para o comportamento foram utilizados seis aquários de mesmas dimensões abastecidos com 30L úteis de água, onde quatro referem-se aos grupos de exposição, um ao grupo controle e um aquário para o registro de filmagens. Para os quatro grupos de exposição, as concentrações utilizadas do poluente foram de 0,01mg/L, 0,05mg/L, 0,1mg/L e 0,5mg/L. Cada um dos grupos de exposição, e o controle, receberam cinco indivíduos de D. iguape escolhidos aleatoriamente. As coletas dos dados de movimentos operculares e nadadeiras dorsais ocorreram nos períodos de 0, 2, 24 e 48horas, tanto nos aquários de exposição quanto no aquário para registro de filmagens. Já os dados de velocidade de natação foram coletados nestes mesmos períodos, mas apenas no aquário de filmagens. Os aquários das filmagens foram utilizados para o registro pós estresse dos peixes, haja vista a transferência de aquário. Para as avaliações do metabolismo foram utilizados cinco aquários de mesmas dimensões, com 30L úteis de água, divididos em quatro grupos de exposição conforme concentrações (0,05; 0,1; 0,25; e 0,5mg/L), e um aquário para o grupo controle. O período de exposição foi de 24horas, onde após o término, os indivíduos foram transferidos para um sistema fechado de respirometria. As amostras foram retiradas do respirômetro, a fim de aferir o consumo de oxigênio e a excreção de amônia. Os resultados demonstraram que para o comportamento e metabolismo, os peixes expostos apresentaram alterações consideráveis, frente ao controle. As alterações de movimentos operculares, nadadeiras dorsais e velocidade de natação, principalmente nas concentrações mais altas, demonstraram maior diminuição dos dados nos períodos de 24 e 48horas. Já para o metabolismo, os parâmetros apresentaram aumento dos dados em todas as concentrações utilizadas.

Palavras-chave: poluentes, aquático, velocidade, amônia, oxigênio.

 
UMA ABORDAGEM BIOGEOGRÁFICA À EXPLOTAÇÃO DE RECURSOS VIVOS DEMERSAIS E BENTÔNICOS NO EMBAIAMENTO DE SÃO PAULO, ATLÂNTICO SUL OCIDENTAL

UMA ABORDAGEM BIOGEOGRÁFICA À EXPLOTAÇÃO DE RECURSOS VIVOS DEMERSAIS E BENTÔNICOS NO EMBAIAMENTO DE SÃO PAULO, ATLÂNTICO SUL OCIDENTAL

Autora: Danielle Castor dos Santos

Orientador: Dr. Alberto Ferreira de Amorim

Coorientador: Dr. Antônio Olinto Ávila da Silva

Data: Agosto/2019

Resumo:

Estudos sobre a estrutura e composição de espécies favorecem o manejo pesqueiro que vise uma abordagem ecossistêmica, principalmente em áreas onde ocorrem pesca multifrota e multiespecífica. A fim de obter subsídios a gestões marinhas, o presente trabalho teve como objetivo a identificação de padrões espaciais e temporais de ocorrência e associação de recursos demersais capturados no Embaiamento de São Paulo (23°- 28° s). Para a análise foram considerados dados de frequência de viagens e capturas de diversas frotas pesqueiras artesanais e industriais por quadrado de 10 MN de lado nos anos 2011 a 2015. Para a avaliação da variação anual e sazonal deste padrão foram empregados dados nos anos 2011, 2013 e 2015. Para avaliação dos padrões de distribuição de espécies e de sua relação com fatores ambientais foram aplicados teste univariados e técnicas multivariadas (agrupamento hierárquico aglomerativo e escalonamento multidimensional). Foram identificadas sete áreas com características próprias de composição de capturas de pescado. No entanto, em critérios que fossem persistentes e tivesse seu uso para fins de gestão pesqueira em áreas do sudeste e sul do Brasil, foram confirmados cinco grupos mais consistentes. Esses foram os de áreas Estuarinas (< 20 m de profundidade), Costeiras (< 25 m), Plataforma Interna (25-50 m), Plataforma externa (50-80 m) e Quebra de plataforma (> 100 m). A distribuição das espécies seguiu principalmente um padrão de variação batimétrico e secundariamente latitudinal, também relacionada às suas características biogeográficas. Ressaltando a importância de uma gestão pesqueira espacialmente orientada em áreas Estuarina e Costeira. Os resultados anuais e sazonais consideram que o fenômeno El Niño (ENOs) varia consideravelmente a distribuição e aparecimento de comunidade entorno da área de estudo. Os resultados apontam para a existência de áreas com perfis de captura consistentes que poderiam ser utilizados como base para um processo de gestão ecossistêmica e considerados em ações de planejamento espacial marinho.

Palavra-chave: Ecossistema marinho, Gestão pesqueira, Distribuição de espécies, Análise Multivariada, Manejo ecossistêmico.

 
Metabolismo de rotina e comportamento natatório do lambari Astyanax bimaculatus submetidos a diferentes salinidades

METABOLISMO DE ROTINA E COMPORTAMENTO NATATÓRIO DO LAMBARI Astyanax bimaculatus SUBMETIDOS A DIFERENTES SALINIDADES

Autora: Júlia Schulz Carneiro

Orientador: Dr. Marcelo Barbosa Henriques

Data: julho/2019

Resumo: Lambari (Characidae) é um peixe de pequeno porte, fácil reprodução, abundante no Brasil e com potencial para a aquicultura, também é utilizado como bioindicador e isca-viva na pesca esportiva em águas interiores. A isca viva mais utilizada na pesca esportiva marinha e estuarina é o camarão branco (Litopenaeus schmitti), mas a atual demanda provocada pela sobrepesca vem acarretando a diminuição dos seus estoques naturais. Sendo assim, o presente estudo teve como objetivo avaliar a resistência do lambari do rabo amarelo Astyanax bimaculatus em diferentes salinidades para que, no futuro, possa ser considerado como alternativa de isca-viva em águas oligohalinas. Para tanto, determinou-se a Concentração Letal 50 (CL50), metabolismo de rotina e comportamento natatório. Para a CL50 (96h), 120 peixes foram divididos nos tratamentos: 0 (controle), 5, 10, 15, 20, 25, 30 e 35 g L-1 de salinidade. Posteriormente, os animais foram expostos nas salinidades de 0, 5 e 10 g L-1 (n=10) e analisados o consumo específico de oxigênio e a excreção específica de amônia após 1 e 24 horas de exposição. O comportamento natatório foi testado com 90 lambaris, divididos em três grupos, nas mesmas salinidades (0, 5 e 10 g L-1), após o período de 2 e 45 minutos de exposição. O resultado da CL50 (96h) foi de 12,73 g L-1. A excreção específica de amônia (p= 0,8) e o consumo específico de oxigênio (p= 0,09) não apresentaram diferença significativa em 24 horas para as salinidades testadas. A excreção específica de amônia apresentou diferença no tempo de exposição de 1 hora na salinidade 10 g L-1 em relação ao controle (p= 0,0003). O mesmo ocorreu para o consumo específico de oxigênio apresentando diferença também, em 1 hora de exposição. Comparando-se o controle aos tratamentos com as outras salinidades, constatou-se diferença estatística (p = 0,02 para 5 g L-1 e 0,006 para 10g L-1). A aceleração da natação do lambari foi reduzida e apresentou diferença significativa em 45 minutos de exposição (p < 0,05) em relação ao controle. O lambari A. bimaculatus apresentou resistência a salinidade em águas até 10 g L-1 podendo ser considerado como alternativa de isca viva para pesca esportiva em regiões estuarinas.


Palavras-chave: consumo específico de oxigênio; excreção específica de amônia; pesca esportiva, Characidae, isca-viva.

 
PESCA ARTESANAL DE ELASMOBRÂNQUIOS EM CARAGUATATUBA, SÃO PAULO, BRASIL E SEUS ASPECTOS BIOLÓGICOS (JANEIRO-2018/2019)

PESCA ARTESANAL DE ELASMOBRÂNQUIOS EM CARAGUATATUBA, SÃO PAULO, BRASIL E SEUS ASPECTOS BIOLÓGICOS

Autora: Nathalia Toyonaga Rodrigues

Orientador: Prof. Dr. Alberto Ferreira de Amorim

Coorientadora: Profa. Dra. Janice Peixer

Data: 10.2019

Resumo:

Os elasmobrânquios correspondem a 4% da captura mundial, o que coloca como a oitava maior pesca deste recurso. Essas estimativas não incluem dados provenientes da atividade pesqueira de pequeno porte, amplamente praticada, porém desamparada de estudos mais exaustivos. A biologia pesqueira estuda o ciclo vital de espécies sujeitas à exploração pelo homem e as alterações dinâmicas que se processam no seu tamanho e estrutura etária, em decorrência da própria exploração pesqueira. Esta tem acesso apenas aos indivíduos dentro de uma faixa de comprimento e de idade, que constituem o estoque disponível e, deste, somente uma parte que esteja acessível ao aparelho-depesca, o estoque capturável. Mensalmente, de janeiro de 2018 a janeiro de 2019, foram coletadas informações de elasmobrânquios capturados pela pesca artesanal em Caraguatatuba-SP, o qual foram identificados, tomados o peso e comprimento, sexo e estágio de maturação (machos). Foi realizada uma análise comparativa com a produção anual de elasmobrânquios no município de Caraguatatuba, obtido através do Banco de Dados online, Instituto de Pesca e a produção dos exemplares coletados durante os desembarques. Foram capturados no total de 357 indivíduos e identificados no total de 16 espécies de elasmobrânquios. As principais artes de pesca foram: redes de emalhede-fundo, capturando principalmente Rhizoprionodon lalandii e Pseudobatos horkelii e o arrasto-de-camarão-sete-barbas, capturando principalmente a Rhinoptera bonasusGymnura altavela, o qual alguns indivíduos dessas espécies se apresentaram prenhes. Foi obtida a relação peso total-PT e comprimento total-CT e a relação peso total-PT e largura de disco-LD das seguintes espécies: R. lalandii; R. porosus; P. horkelii; P. percellens; G. altavela; R. bonasus; D. hypostigma; e H. americanus. A maioria dos tubarões e raias capturados fazem parte da comercialização em Caraguatatuba-SP, sendo que a principal arte de pesca utilizada foi a rede de emalhe-de-fundo. A estação de primavera foi o período de maior ocorrência de  lasmobrânquios, sendo o mais frequente R. lalandii, enquanto o verão houve maior diversidade de espécies. As principais espécies capturadas no estudo foram R. lalandii (58%) e a P. horkelii (22%), entretanto essas espécies não suportam uma exploração continua apresentando uma grande ameaça as suas populações. Além disso, a região pode ser uma pode ser uma área de berçário para as espécies Gymnura altavela e Rhinoptera bonasus. Na análise de produção de elasmobrânquios do município, foram identificadas as seguintes categorias: cação-rolarola (espécies identificadas nesta categoria R. lalandii e R. porosus), cambeva (Sphyrna lewini), cação-galha-preta (Carcharhinus brevipinna), machote (Carcharhinus obscurus), viola (Pseudobatos horkelii, Pseudobatos percellens e Zapteryx brevirostris) e raias-agrupadas (Aetobatus narinari, Dasyatis hypostigma, Gymnura altavela, Gymnura micrura, Hypanus americanus, Hypanus guttatus, Rioraja agassizii e Rhinoptera bonasus). Existe a correlação entre o nome científico e comum de elasmobrânquios registrados por coletores estatísticos da região de Caraguatatuba-SP.

Palavras-chave: tubarão, raia, aspectos-biológicos, relação peso-comprimento, coletores estatísticos.

 
UTILIZAÇÃO DE MICRORGANISMOS ISOLADOS DE TILÁPIA-DO-NILO (Oreochromis niloticus) COMO PROBIÓTICO EM PEIXES

UTILIZAÇÃO DE MICRORGANISMOS ISOLADOS DE TILÁPIA-DO-NILO (Oreochromis niloticus) COMO PROBIÓTICO EM PEIXES

Autor: Luciana Yuri Sato

Orientador: Profª. Dr. Leonardo Tachibana

Coorientadora: Dra. Danielle de Carla Dias

Data: Setembro/2019

Resumo:

O uso de sistemas intensivos de produção na piscicultura faz-se necessário para
atender a demanda crescente por pescado, e como consequência negativa, possibilita o
surgimento de surtos de doenças bacterianas, afetando a produtividade, a sobrevivência e o
bem-estar dos animais, assim como a sua qualidade. A utilização de aditivos como os
probióticos pode ser uma alternativa viável para a prevenção de agentes patogênicos, além de
melhorar o crescimento dos animais. Portanto, o objetivo deste trabalho foi avaliar bactérias
previamente testadas in vitro com potencial probiótico no desempenho zootécnico e o sistema
imunológico inato de tilápia-do-nilo (Oreochromis niloticus), equilíbrio homeostático,
fisiológico e microbiológico. Para esta finalidade, foi realizado um ensaio de desempenho de
crescimento (duração de 81 dias), seguindo o delineamento experimental inteiramente
casualizado, com sete tratamentos e três repetições (21 unidades experimentais), sendo: T0 –
controle, T1 – Bacillus velezensis na ração, T2 – Bacillus pumilus na ração, T3 – Bacillus subtilis na
ração, T4 – Probiótico Enterococcus hirae na ração, T5 – Enterococcus faecium na ração e T6 – Mix
de todas as bactérias dos outros tratamentos na ração. Ao final do período experimental, as
variáveis de desempenho zootécnico de crescimento, DGGE (Denaturing gradient gel
electrophoresis), hematologia, lactato, lisozima e burst respiratório de fagócitos foram avaliadas.
A inclusão das bactérias B. pumilus (T2) e o mix (T6), em dietas para a tilápia-do-nilo,
proporcionaram o aumento da biomassa total final de peixes em relação ao controle e aos
outros tratamentos. O uso destes microrganismos não afetou a saúde e o bem-estar dos peixes,
sendo que os índices hematológicos, exceto basófilos e trombócitos, níveis glicêmicos e de
lactato foram semelhantes com o grupo controle. As análises de DGGE demonstraram a
odulação dos microrganismos presentes no intestino dos peixes Conclui-se que as bactérias
isoladas e pré-selecionadas do intestino e muco de tilápias-do-nilo do grupo T2 (B. pumilus) e
T6 (B. velezensis, B. pumilus, B. subtilis, E. hirae e E. faecium), melhoram o desempenho de
crescimento, além de modular a microbiota intestinal e podem ser usadas como probióticos
para tilápia.


Palavras chave: imunologia; desempenho zootécnico; nutrição; microbiologia, hematologia

 
Mobilidade importa? Análise dos padrões de deslocamento de frotas pesqueiras como instrumento para o planejamento espacial marinho.

Mobilidade importa?

Análise dos padrões de deslocamento de frotas pesqueiras como instrumento para o planejamento espacial marinho.

Autora: Diego Albino Morroni

Orientador: Prof. Dr. Alberto Ferreira Amorim

Coorientador: Prof. Dr. Antônio Olinto Ávila da Silva

Data: Novembro/2019

Resumo

A classificação binária da atividade pesqueira em artesanal e industrial trás definições imprecisas em relação às categorias que compõem o setor, pois em ambos os segmentos coexistem formas e escalas distintas de produção.  O presente estudo investigou a mobilidade das frotas pesqueiras marinhas do Estado de São Paulo, sudeste do Brasil, entre 2015 a 2017 com objetivo propor uma forma complementar para classificação de frotas pesqueiras baseado em sua mobilidade.  As principais pescarias atuantes no período foram determinadas por meio de técnicas multivariadas com base em dados de desembarque.  Um Modelo Linear Generalizado (GLM) selecionou, dentre as características estruturais e operacionais, os principais fatores que afetaram a mobilidade dessas pescarias. Esses fatores foram submetidos à análise discriminante que classificou a mobilidade em categorias distintas.  A Análise Hierárquica Aglomerativa, aplicada a cada uma das dez artes de pesca identificadas, reconheceu 25 pescarias, denominadas grupos alvo. O GLM aplicado aos fatores estruturais e operacionais respondeu por 64,92% da variação da mobilidade, sendo que a só a variável comprimento explicou 50,31%.  A inclinação da plataforma, os grupos alvo e a potência do motor também foram significativos no modelo. A análise discriminante obteve um acerto global de 76,47% e identificou três categorias de mobilidade: Categoria A: grupos com mobilidade inferior a cinco milhas náuticas. Categoria B: grupos que registraram amplitude entre cinco e 20 MN e Categoria C: grupos com mobilidade mínima superior a 20MN. Ressalta-se a importância de adequação da legislação brasileira principalmente no que diz respeito à gestão e ordenamento de frotas, haja vista que existem poderosas diferenças não contempladas na forma binária existente na legislação vigente. Compreender os fatores que afetam a mobilidade da frota pode ser de fundamental interesse para o planejamento espacial marinho pois fornecem subsídios para estabelecimento de limites espaciais para diferentes usos antrópicos.

Palavras chave: frota pesqueira, mobilidade, categoria de pesca, análise multivariada, planejamento espacial marinho

 

 
DESEMPENHO PRODUTIVO DE CAMARÕES DE ÁGUA DOCE (Macrobrachium rosenbergii) E LAMBARIS (Astyanax altiparanae) EM CULTIVO INTEGRADO

DESEMPENHO PRODUTIVO DE CAMARÕES DE ÁGUA DOCE (Macrobrachium rosenbergii) E LAMBARIS (Astyanax altiparanae) EM CULTIVO INTEGRADO

Autor: Vanderson Natale Dias

Orientador: Prof. Dr. Hélcio Luís de Almeida Marques

Coorientador: Dr. Sérgio Henrique Canello Schalch

Data: Fevereiro-2020

Resumo:

Aquicultura é o processo de produção em cativeiro, de organismos predominantemente aquáticos. Empreendedores que trabalham com a aquicultura buscam novas técnicas para a melhoria das práticas de manejo e redução dos danos causados ao meio ambiente. Como alternativa pode-se citar o cultivo integrado, que proporciona um melhor aproveitamento das áreas de produção, já que os resíduos gerados por uma espécie podem ser aproveitados por outra, aumentando a eficiência do sistema e mantendo a integridade dos ecossistemas. Nos últimos anos o cultivo integrado de peixes com camarões tem crescido no Brasil. Vários estudos têm demonstrado a viabilidade técnica e econômica deste sistema de criação. Existem diversas espécies nativas de camarões de água doce com potencial para criação comercial, porém a espécie exótica, Macrobrachium rosenbergii, introduzida no Brasil, foi a que melhor se adaptou à criação em cativeiro. O lambari do rabo amarelo, Astyanax altiparanae, é uma espécie rústica, de pequeno porte, que possui fácil adaptação ao ambiente confinado. Devido a estas condições, essa espécie é considerada com grande potencial para a aquicultura, tanto para consumo como para o mercado de iscas vivas para a pesca esportiva. O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho produtivo de camarões de água doce Macrobrachium rosenbergii livres em viveiro em cultivo integrado, com lambaris Astyanax altiparanae confinados em tanques-rede em duas densidades de estocagem.


Palavras-chave: Cultivo integrado, Aquicultura, Produção em cativeiro, Sustentabilidade ambiental.

 
AVALIAÇÃO DE DIFERENTES SISTEMAS DE FILTRAÇÃO BIOLÓGICA NA LARVICULTURA DO CAMARÃO-DA-AMAZÔNIA Macrobrachium amazonicum (HELLER, 1862)

AVALIAÇÃO DE DIFERENTES SISTEMAS DE FILTRAÇÃO BIOLÓGICA NA LARVICULTURA DO CAMARÃO-DA-AMAZÔNIA Macrobrachium amazonicum (HELLER, 1862)

Autor: Carolina Perico Graciano.

Orientador: Helcio Luis de Almeida Marques.

Co-orientador: Marcello Villar Boock.

Data: Setembro-2020

Resumo:

Dentre as espécies nativas de camarões de água doce, Macrobrachium amazonicum
é a que tem apresentado maior potencial para consumo e utilização como isca viva.
No entanto, um dos gargalos para o cultivo dessa espécie no Brasil, ainda é a falta
de larviculturas comerciais, tornando, assim, necessárias tecnologias que facilitem o
acesso dos produtores rurais a essa atividade. No presente experimento comparouse
diferentes modelos de biofiltros, com o objetivo de facilitar o manejo da
larvicultura e reduzir custos com mão de obra. Os experimentos foram realizados no
Laboratório de Carcinicultura da UPD de Pirassununga, Instituto de Pesca,
utilizando-se larvas produzidas por reprodutores cultivados na Unidade. Após a
eclosão, as larvas foram aclimatadas, contadas e transferidas para caixas de
polietileno com 20 L de capacidade, na densidade de estocagem de 49 L-1. Os
tratamentos testados foram: a) larvicultura sem filtragem biológica (controle - SFB);
b) filtro tipo "Canister" (FTC); c) filtro biológico dinâmico (FBD) e d) filtro biológico
estático (FBE). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com
quatro réplicas de cada tratamento. A avaliação dos sistemas de filtração foi
realizada por meio das análises dos teores de compostos nitrogenados da água dos
tanques de produção e do desempenho zootécnico das larvas (sobrevivência, peso
seco das larvas e pós-larvas, e dias de larvicultura). O manejo da larvicultura seguiu
os procedimentos normais descritos na literatura para essa espécie. Os tratamentos
FBD e FBE apresentaram sobrevivência significativamente maior em relação aos
demais. Não houve diferença significativa na remoção dos compostos nitrogenados
pelos sistemas testados. Apesar de apresentar baixa sobrevivência, o filtro Canister
mostrou boa eficiência na remoção dos compostos nitrogenados, mostrando boas
perspectivas de uso desde que sejam feitas algumas pequenas adaptações no
mesmo.


Palavras-chave: camarões de água doce; larvicultura, compostos nitrogenados;
RAS.

 
CAPTURAS NÃO REPORTADAS MARINHAS DA PESCA COMERCIAL DO LITORAL NORTE DO ESTADO DE SÃO PAULO Danielle

CAPTURAS NÃO REPORTADAS MARINHAS DA PESCA COMERCIAL DO LITORAL NORTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

Autor: Danielle Peçanha Rosolem

Orientador: Prof. Dr. Acácio Ribeiro Gomes Tomás

Data: Dezembro/2019

Resumo:

Para suprir uma demanda cada vez maior por proteína alimentar, o homem começou a diversificar seus hábitos nutricionais e de sustento, atribuindo à pesca enorme valor, sobretudo após o advento da motorização desta atividade no século XIX. Segundo os dados de monitoramento da FAO, o estado dos recursos pesqueiros marinhos continua decaindo. Para uma avaliação dos estoques pesqueiros fidedigna e objetiva, os dados de capturas são essenciais, todavia assim como preconiza a FAO, esses números não representam a realidade dos estoques pesqueiros, uma vez que omitem parte da captura, que é descartada a bordo. O descarte da pesca é comum a todas as pescarias em nível global e reúne indivíduos de diversas espécies que não possuem valor comercial, não tem tamanho mínimo para o comércio, ou ainda contam com a proibição legislativa de captura, sendo desprezados a bordo. Diversas nações estão debatendo para minimizar essa captura, entretanto no Brasil, ainda é raro. Visando obter essas informações, este trabalho teve como objetivo caracterizar e avaliar os descartes das principais frotas de arrasto de camarão, e emalhe do Estado de São Paulo.

Palavras-chave: fauna acompanhante, estoques pesqueiros, descarte.

 
ESTUDO IN VITRO DA CAPACIDADE ANTIBACTERIANA DA PRÓPOLIS VERDE E SUA SINERGIA COM ANTIBIÓTICOS PARA O TRATAMENTO DE BACTÉRIAS PATOGÊNICAS NA PISCICULTURA

ESTUDO IN VITRO DA CAPACIDADE ANTIBACTERIANA DA PRÓPOLIS VERDE E SUA SINERGIA COM ANTIBIÓTICOS PARA O TRATAMENTO DE BACTÉRIAS PATOGÊNICAS NA PISCICULTURA

Autor: Nicolas Ripari
Orientador: Prof. Dr. Leonardo Tachibana
Co-Orientador: Dr. Said Ben Hamed

Data: 2019

Resumo:

Na aquicultura, o uso de antibióticos para resolver bacterioses é uma prática comum. No entanto, foi demonstrada a presença de resistência bacteriana em patógenos de peixes resultando na necessidade de uma maior dose destes medicamentos para o controle sanitário efetivo, aumentando a preocupação pública ao surgimento da resistência bacteriana. A própolis verde brasileira é utilizada em medicamentos e suplementos devido aos seus diversos efeitos benéficos, incluindo o efeito antibacteriano. Neste trabalho, investigamos a capacidade antibacteriana da própolis verde e seu potencial sinérgico com antibióticos contra cepas bacterianas patogênicas isoladas em pisciculturas. A extração dos diferentes compostos de própolis foi realizada em sistema de aquecimento em refluxo, com os seguintes solventes: hexano (FH), diclorometano (FD), etanol (FE) e água (FA) que possuem polaridades crescentes, respectivamente. Os componentes de cada fração foram analisados pela técnica de HPLC por comparação com diferentes padrões. As frações dos extratos obtidos foram testadas quanto à sua capacidade antibacteriana contra duas bactérias patogênicas de peixes, Aeromonas hydrophila (Gram-negativa) e Streptococcus agalactiae(Gram-positiva). A análise por HPLC mostrou que os compostos fenólicos são componentes abundantes nas quatro frações, sendo a maior porcentagem destes compostos fenólicos encontrada na FE. As quatro frações extraídas (FH, FD, FE e FA) apresentaram atividade inibitória contra A. hydrophila e/ou S. agalactiae, confirmada por uma ou duas técnicas de inibição (microdiluição em caldo e inibição pordifusão em disco).A concentração inibitória mínima (CIM) para S. agalactiae foi observada em FE, FD e FA; e a CIM para A. hydrophila foi determinada em todas as frações pelo método de microdiluição em caldo.O potencial antimicrobiano sinérgico do extrato etanolico bruto da própolis verde (EEP) com antibióticos contra estas bactérias também foi avaliado. Assim, selecionamos dois compostos comercializados como antibióticos que atuam na parede celular bacteriana (benzilpenicilina G e vancomicina) e dois outros antibióticos que atuam na síntese de proteica bacteriana (oxitetraciclina e florfenicol). A CIM de cada antibiótico foi determinada pelo método de microdiluição. Em seguida, foram realizados testes Checkerboardtambém em placas de microtitulação para avaliar o efeito combinado do EEP com antibióticos e calcular o Índice de Concentração Inibitória fracionada (ICIF). Os ICIF que apresentaram sinergismo foramcombinações de EEP + florfenicol contra S. agalactiae e,EEP + forfenicol ou vancomicina
contra A. hydrophila. Para confirmar estes resultados em meio de cultura sólido,foi adotado o método de difusão em disco com cada antimicrobiano separadamente para medir sua zona de inibição e então, avaliar o efeito sinérgico em placas de Petri. Concluímos que o EEP possui efeito antibacteriano contra as duas bactérias alvo deste estudo e que este extrato possui efeito sinérgico com florfenicol contra as duas espécies estudadas.Isto representa uma descoberta promissora, considerando que o etanol apresentou grande quantidade de compostos fenólicos e é um solvente de baixo custo e baixa periculosidade. Além disso, reduzir o uso de florfenicol na terapia efetiva contra estes patógenos poderia ser uma alternativa interessante para diminuir o uso de antibióticos na aquicultura e os impactos ao ambiente decorrentes deste uso.

Palavras chave:Apiterápico,aquicultura,HPLC, peixes, resazurina,tilápia.

 

Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/pescasp/public_html/components/com_phocadownload/views/category/tmpl/default.php on line 98
 
 
Powered by Phoca Download