Up

2014

ENSAIOS ECOTOXICOLÓGICOS COMO FERRAMENTA PARA AVALIAÇÃO DE EFLUENTE DE TRUTICULTURA

ENSAIOS ECOTOXICOLÓGICOS COMO FERRAMENTA PARA AVALIAÇÃO DE EFLUENTE DE TRUTICULTURA

Autor: Priscila Fonseca de Amorim Norat Guimarães

Orientador: Julio Vicente Lombardi

Data: 26.02.2014

 
ECOLOGIA ALIMENTAR DA RAIA Rioraja agassizii (ELASMOBRANCHII,RAJIDAE) CAPTURADA NA PESCA DE ARRASTO NO SUDESTE E SULDO BRASIL

ECOLOGIA ALIMENTAR DA RAIA Rioraja agassizii (ELASMOBRANCHII,RAJIDAE) CAPTURADA NA PESCA DE ARRASTO NO SUDESTE E SULDO BRASIL

Autor: Nathalia de Sousa Motta

Orientador: Alberto Ferreira de Amorim

Data: 07.07.2014

 
IDENTIFICAÇÃO MOLECULAR DE LARVAS E OVOS DE PEIXES-DE-BICO DASFAMÍLIAS ISTIOPHORIDAE E XIPHIIDAE (PERCIFORMES) DA COSTA SUDESTEDO BRASIL ATRAVÉS DO DNA BARCODE

IDENTIFICAÇÃO MOLECULAR DE LARVAS E OVOS DE PEIXES-DE-BICO DAS FAMÍLIAS ISTIOPHORIDAE E XIPHIIDAE (PERCIFORMES) DA COSTA SUDESTEDO BRASIL ATRAVÉS DO DNA BARCODE

Autor: Tiago Rodrigues

Orientador: Katharina Eichbaum Esteves

Data: 07.08.2014

Resumo:

O presente estudo teve como objetivo identificar e relatar a ocorrência de larvas dos peixes-de-bico no Sudoeste do Atlântico e das demais larvas de peixe na massa de água superficial da região costeira de Vitória (ES). Durante o verão dos últimos dois anos (2012/2013 e 2013/2014) foram realizadas 64 arrastos de superfície utilizando uma rede de ictioplâncton na costa de Vitória (ES), Rio de Janeiro (RJ) e Ilhabela (SP) e 391 larvas de peixes foram coletadas, sendo 27 deles em Vitória e capturando 151 larvas nessa região. A identificação das larvas de Istiophoridae até o nível taxonômico de família foi feita através de características morfológicas, e no nível de espécie foi realizada através da biologia molecular utilizando a técnica de DNA barcode, mesmo método utilizado nas demais larvas de peixe coletadas. O fragmento barcode do gene mitocondrial citocromo c oxidase subunidade I (COI) foi amplificado e sequenciado para a identificação das espécies. Durante a temporada 2012/2013, oito larvas de agulhão-vela foram identificados na costa de Vitória (ES). Na temporada 2013/2014 uma larva de agulhão-branco e dois ovos de espadarte também foram identificados na amostragem proveniente de Vitória, além de outros dois exemplares de agulhão-vela e um agulhão-branco, coletados na costa de Ilhabela em janeiro de 2014. Identificou-se nos 27 arrastos de Vitória um total de 13 espécies e 10 Famílias, com ampla dominância da espécie Dactylopterus volitans (Dactylopteridae) no início de 2013 e peixes da Família Carangidae e Exocoetidae na temporada 2013/2014. As larvas de D. volitans foram fotografadas sob microscópio eletrônico de varredura com o apoio do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (USP-SP). Durante os dois períodos de amostragem também foram coletadas larvas de Thunnus atlanticus (Scombridae), espécie de elevado interesse comercial. Para avaliar a importância dos parâmetros ambientais sobre a abundância de larvas de peixe a Análise de Correspondência Canônica (CCA) foi realizada, análise que explicou 77,2% da variação dos dados (valor de inércia). O presente estudo identificou larvas de Istiophoridae e Xiphiidae pelo DNA barcode pela primeira vez na costa brasileira e deve ter continuidade, para que inferências sobre a área e período de desova e desenvolvimento de fases iniciais de vida destes peixes possam ser feitas com mais precisão. Além disso, esses dados podem contribuir para a gestão e conservação destas espécies no Sudeste do Atlântico.

Palavras-chave: barcode, agulhão, sailfish, larva de peixe, ictioplâncton, Dactylopteridae.

 
Morfologia e composição química dos otólitos sagittae de Sardinellabrasiliensis (Steindachner, 1879): elementos para análise de sua estruturapopulacional no Atlântico Sudoeste (22°59'S - 28°36'S)

Morfologia e composição química dos otólitos sagittae de Sardinellabrasiliensis (Steindachner, 1879): elementos para análise de sua estrutura populacional no Atlântico Sudoeste (22°59'S - 28°36'S)

Autor: Simone Perin

Orientador: André Martins Vaz-dos-Santos

Data: 22.08.2014

Resumo:

A sardinha-verdadeira, Sardinella brasiliensis (Steindachner, 1879) (Clupeiformes: Clupeidae) é uma espécie pelágica de pequeno porte endêmica da bacia do Sudeste do Brasil (22°59’S – 28°36’S). É um dos mais importantes recursos pesqueiros da área, onde é alvo das frotas de cerco (traineiras) que atuam na região, sendo por isto bem estudada quanto aos seus aspectos biológicos. Destes estudos, é possível verificar que a sardinha-verdadeira não apresenta homogeneidade em sua área de distribuição: (i) os peixes mais velhos e maiores se concentram mais ao norte, na costa dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro; (ii) existem aos menos dois morfotipos de otólitos; (iii) existem áreas diferentes de desova. Estes fatores, aliados às intensas flutuações de biomassa e volumes desembarcados, levaram a questão de trabalho: a morfometria e a microquímica dos otólitos reflete variações geográficas? Para tal, otólitos de exemplares de jovens do ano e de adultos de S. brasiliensis foram analisados através de nove índices de forma (morfologia e morfometria) e através de sua constituição microquímica (razões entre estrôncio, cálcio e bário) (ICP-OES). Foram utilizados otólitos de peixes coletados durante o “Prospecção e avaliação de biomassa do estoque de sardinha, na costa sudeste, por métodos hidroacústicos” (ECOSAR) em 2008, 2009 e 2010, entre setembro e março. Para análise, a bacia do Sudeste do Brasil foi dividida em três áreas, de acordo com suas características ambientais. Os resultados da morfometria foram mais robustos que os da análise microquímica. Houve forte variação geográfica entre os jovens do ano, com diferenciação entre os peixes das regiões de Cabo Frio, plataforma continental ao largo de São Paulo e Cabo de Santa Marte Grande. Para os adultos, a variabilidade indicou que os jovens ao crescer se reúnem em um grupo único. Considera-se fundamental que a variação geográfica detectada em jovens do ano seja levada em conta na gestão de S. brasiliensis, sendo verificada a contribuição de cada grupo para o estoque adulto.

Palavras-chave: sardinha-verdadeira; índices de forma; ICP-OES; bacia do Sudeste do Brasil.

 

 
Avaliação dos padrões espaço-temporais recentes da pesca com parelhas e sua gestão no Estado de São Paulo

Avaliação dos padrões espaço-temporais recentes da pesca com parelhas e sua gestão no Estado de São Paulo

Autor: Fernanda Andreoli Rolim

Orientador: Antônio Olinto Ávila da Silva

Data: 12.09.2014

 
AVALIAÇÃO DO POTENCIAL TÓXICO DO FORMALDEÍDO SOBRE GIRINOS DE RÃ-TOURO (Lithobates catesbeianus)

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL TÓXICO DO FORMALDEÍDO SOBRE GIRINOS DE RÃ-TOURO (Lithobates catesbeianus)

Autor: Juliana Macêdo Santana

Orientador: Claudia Maris Ferreira Mostério

Data: 17.10.2014

 
AVALIAÇÃO DE EFLUENTES DE SISTEMA INTENSIVO DE TRUTICULTURA ATRAVÉS DE INDICADORES AMBIENTAIS

AVALIAÇÃO DE EFLUENTES DE SISTEMA INTENSIVO DE TRUTICULTURA ATRAVÉS DE INDICADORES AMBIENTAIS

Autor: Munique de Almeida Bispo Moraes

Orientador: Cacilda Thais Janson Mercante

Data: 17.10.2014

 
PESCA RECREATIVA NO COMPLEXO BAÍA-ESTUÁRIO DE SANTOS - SÃO VICENTE (SP, BRASIL)

PESCA RECREATIVA NO COMPLEXO BAÍA-ESTUÁRIO DE SANTOS - SÃO VICENTE (SP, BRASIL)

Autor: Carlos Gonçalves

Orientador: Acácio Ribeiro Gomes Tomás

Data: 21.10.2014

 
QUALIDADE DA ÁGUA EM LOCAIS DE PESCA DO RESERVATÓRIO BILLINGS (SÃO PAULO): CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E QUÍMICAS E MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS

QUALIDADE DA ÁGUA EM LOCAIS DE PESCA DO RESERVATÓRIO BILLINGS (SÃO PAULO): CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E QUÍMICAS E MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS

Autor: José Ricardo Baroldi Ciqueto Gargiulo

Orientador: Cacilda Thais Janson Mercante

Data: 30.10.2014

 
ASPECTOS DA BIOLOGIA DE Atlantoraja castelnaui, Squatina occulta E Squatina guggenheim CAPTURADOS NA PESCA DE ARRASTO NO SUDESTE E SUL DO BRASIL

ASPECTOS DA BIOLOGIA DE Atlantoraja castelnaui, Squatina occulta E Squatina guggenheim CAPTURADOS NA PESCA DE ARRASTO NO SUDESTE E SUL DO BRASIL

Autor: Natalia Della Fina

Orientador: Alberto Ferreira de Amorim

Data: 26.11.2014

 
ANÁLISE DA DINÂMICA DAS PESCARIAS NA ENSEADA DE CARAGUATATUBA E ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA (SÃO PAULO, BRASIL) E A INFLUÊNCIA DE FATORES AMBIENTAIS SOBRE SUA PRODUTIVIDADE.

ANÁLISE DA DINÂMICA DAS PESCARIAS NA ENSEADA DE CARAGUATATUBA E ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA (SÃO PAULO, BRASIL) E A INFLUÊNCIA DE FATORES AMBIENTAIS SOBRE SUA PRODUTIVIDADE.

Autor: Luísa Candançan da Silva

Orientador: Antônio Olinto Ávila da Silva

Data: 12.12.2014

 
DINÂMICA ESPACIAL E INTERAÇÃO ENTRE FROTAS PESQUEIRAS NA BACIA DE SANTOS, BRASIL.

DINÂMICA ESPACIAL E INTERAÇÃO ENTRE FROTAS PESQUEIRAS NA BACIA DE SANTOS, BRASIL.

Autor: Ricardo Dias Imoto

Orientador: Antônio Olinto Ávila da Silva

Data: 12.12.2014

 
O ESTUDO MORFOMÉTRICO E MORFOLÓGICO DOS OTÓLITOS E RELAÇÃO PESO-COMPRIMENTO DO PARATI (Mugil curema (Valenciennes, 1836) NO COMPLEXO BAÍA-ESTUÁRIO DE SANTOS-SÃO VICENTE (SÃO PAULO-BRASIL).

O ESTUDO MORFOMÉTRICO E MORFOLÓGICO DOS OTÓLITOS E RELAÇÃO PESO-COMPRIMENTO DO PARATI (Mugil curema (Valenciennes, 1836) NO COMPLEXO BAÍA-ESTUÁRIO DE SANTOS-SÃO VICENTE (SÃO PAULO-BRASIL).

Autor: Nayra Nicolau dos Santos-Cruz

Orientador: Acácio Ribeiro Gomes Tomás

Data: 15.12.2014

 
 
 
Powered by Phoca Download